Falar sobre tudo e mais alguma coisa
Segunda-feira, 12 de Março de 2012
Onde vive a minha musa?

 

 

A folha de papel branco estava à minha frente e só esperava que eu ganhasse coragem para escrever. Eu olhava o papel em branco e esperava a inspiração necessária para começar. Olhei o tecto que conservava muito pouco do branco original e não vi lá nenhuma resposta para o meu problema. Era obvio que não era lá que estava minha musa inspiradora. Nas paredes rachadas do meu velho quarto também não. Na minha cama por fazer também não e nem no caixote do lixo cheio de folhas amarrotadas. Onde andaria ela? Há alguns dias que não aparecia. Queria escrever um texto fantástico. Queria escrever algo que se transformasse num best-seller e mas tarde, depois da minha morte, um mito. Estava desesperada que chegasse aquele rasgo de inspiração. Levantei-me e peguei no casaco. A noite já tinha caído e as estrelas pontilhavam o céu. Pensei que poderiam ser elas as minhas musas desta noite. Vesti o casaco e caminhei vagarosamente pela margem do Douro. Olhei as casas, os candeeiros públicos aqui e ali no meio do casario como estrelas na terra, olhei a ponte Luis I iluminada. As luzes todas da cidade a reflectirem no rio, era uma das imagens mais bonitas do mundo! Qual Paris, qual Roma, qual quê? O Porto! Maravilhoso, lindo e simples como se quer. O casaco já me pesava pelas temperaturas primaveris. Era agradável o passeio, tão agradável que não me apetecia voltar ao quarto velho e frio para olhar para uma folha de papel vazia. Caminhei até à ponte e passei para a outra margem. O rio visto da ponte é ainda mais bonito. A cidade vista da ponte é ainda mais bonita. E o céu é lindíssimo. É como se o rio reflectisse o firmamento estrelado. Ou será que é o céu que reflecte o rio que reflecte as luzes da cidade? Caminhei de mãos nos bolsos muito tempo e nem dei pelo tempo passar. Era tarde já e eu continuei a caminhar, embrenhada na contemplação da paisagem e em reflexões sobre a minha escrita. Precisa desesperadamente de ideias. E elas ocorriam-me em catadupa, mas na hora de as escrever tudo me parecia simples demais, pobre, quase um insulto ao papel. Estava muito longe de casa. Era hora de voltar. No caminho de regresso, olhei atentamente à minha volta a ver se estava por ali a minha musa inspiradora. Além da paisagem olhei nos rostos desconhecidos que passavam por mim, olhei os cães que seguiam os seus donos pela trela, olhei os patos escondidos nos seus ninhos para dormir, olhei os pombos que arrulhavam nos beirais cheios de sono. Procurei a minha musa em cada um deles, nas pedras das pontes, das casas e da rua. Procurei nas árvores, nas folhas que se desprendem das mesmas e voam, serenas até ao chão. Nas magnólias de cores vistosas que já cobrem a cidade. Cheguei à minha rua e os cafés estavam a fechar as portas. O gato da vizinha estava a minha porta. Não se arrumou para eu passar. O cheiro do Verão começava a fazer-se sentir. No meu velho quarto a brisa suave da noite fazia a cortina dançar. A folha de papel estava no chão. Apanhei-a e fui fechar a janela, pronta a deitar-me e desistir. Pela janela vi o rio, e a cidade do lado de lá. Uma estrela pareceu desprender-se do céu e cair na terra. Pensei que poderia descrever tudo o que vi. Poderia falar de tudo o que senti. Pensei então que se calhar não tinha uma musa inspiradora, mas muitas. Talvez a minha musa fosse tudo o que me rodeia. Talvez fosse o mundo e todo o universo e o infinito. Talvez afinal a inspiração estivesse apenas dentro de mim. Talvez vivesse dentro de mim. talvez tivesse vivido sempre.

Sentei-me na cadeira e peguei na caneta. A folha branca à minha frente já não tinha muito que esperar. Eu estava pronta.    

             

 

Por Cláudia Moreira para a Fábrica de Histórias



publicado por magnolia às 00:45
link do post | favorito

Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

...e mais ainda...
Cláudia Moreira

Cria o teu cartão de visita
Março 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


Ideias recentes

Entrudo

Fábula

primavera

música, da boa.

poema simples

A invenção do Amor

we all do have some nost...

manhãs

poema simples

That 'cause sometimes I t...

breve história de uma árv...

O Humor dos outros.

2013 - os livros que li, ...

Feliz Ano Novo!

Porque os livros (também)...

2013 - os livros que li, ...

That 'cause I think of my...

Estes já têm lugar na min...

Quem se lembra?

2013 - os livros que li, ...

Ideias antigas

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Março 2007

Março 2006

tags

todas as tags

links

Uploaded with ImageShack.us
A minha obra:-)
Image Hosted by ImageShack.us
By magicmagnolia
Statistic
Procuras alguma ideia em especial?
 
Quantos andarão por aqui?
web counter
Pub
Ideias em pelicula
Que horas são?


blogs SAPO
subscrever feeds