Falar sobre tudo e mais alguma coisa
Segunda-feira, 15 de Dezembro de 2008
What e feeling

Quem não se lembra desta musica?

Pois é, vim agora do espetáculo de dança em que a minha filha participou com este mesmo nome e...não a consigo tirar da cabeça!!

 

 

 

 


sinto-me: com a música no corpo

publicado por magnolia às 00:12
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito

Sábado, 13 de Dezembro de 2008
Cidade adormecida

imagem retirada da net...

 

 

Ao sábado de manhã não moro no mesmo lugar. As ruas estão silenciosas, os carros estão nas garagens, as persianas corridas. As luzes dos reclames luminosos estão desligados e os quiosques fechados.  

Ao sábado de manhã entro num mundo adormecido de mansinho e não faço barulho. Sigo o meu rumo, trabalho tranquilamente até à hora em que o mundo desperta. Mas não é um despertar normal, como numa terça ou numa quinta. Ao sábado o mundo desperta mais devagar, sai de pijama à rua, espreguiça-se. Veste o fato de treino e vai andar à beira-mar. Compra o jornal e a revista semanal e toma o pequeno-almoço numa esplanada em dias de sol e em dias de chuva fica muito quentinho à lareira, embrulhado numa manta a bebericar uma chávena de chá. O mundo ao sábado é um bocadinho preguiçoso.

Hoje é sábado e chove. Lá fora está tudo sossegado, apenas se ouve a chuva a cair e o vento a ecoar pelas ruas. Está frio e ninguém vai sair. Vão ficar em casa com as suas famílias aproveitando a tranquilidade do lar.

Eu também desejava fazer parte desse mundo adormecido mas em vez disso calhou-me na sorte ver o mundo dormir. O mundo não sabe o aspecto que tem quando dorme, por isso hoje lembrei-me de vir aqui contar ao mundo que dorme tranquilamente. E nem precisa de se preocupar, porque enquanto dorme há sempre alguém que vela por ele…

 

 


sinto-me: pensativa

publicado por magnolia às 11:25
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito

Sexta-feira, 12 de Dezembro de 2008
Ele quer ir ao cinema...

imagem retirada da net

....mas não quer que vá com ele! Ok. É a primeira vez que me pede para ir sozinho sair com os amigos. Quer ir ao cinema no Domingo ao Shopping com os amigos e amigas. Sozinho! Assim, sem eu estar por perto, percebem? E agora o que é que eu faço?

Nunca imaginei que doesse tanto ver a primeira vez que o passarinho tenta sair do ninho...

 


sinto-me: com medo, muito medo...

publicado por magnolia às 11:59
link do post | comentar | ver comentários (13) | favorito

Quinta-feira, 11 de Dezembro de 2008
Sorriso pálido

 



 


 


 


 


Esbocei um pálido sorriso


Tão pouco me apetecia rir


E de fingir eu não preciso


Preciso é de querer sorrir


 


Há muito que assim me sinto


Triste e sem vontade de sorrir


Sorrio e parece que minto


E nao tenho vontade de mentir


 


Tanto sentimento contido


Muita tristeza e tanta dor


Num sorriso assim fingido


Nem tem glória nem valor


 


É tao triste, tão doloroso


Nao querer jamais sorrir


E pensamento tenebroso


É nunca mais o querer sentir


 


Guardo-o, triste, só para mim


Fica cá dentro guardado


E no dia que sorrir por fim


Será um belo sorriso rasgado...


 


 



publicado por magnolia às 23:20
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

Coisas Minhas II

 

O dia de ontem acordou azul… Achei que ia ter um belo dia azulinho e que finalmente o cinzento se tinha eclipsado. Estava redondamente enganada, como pude ir constatando ao longo do dia….

 

12h00 – Conta do mecânico (140,00)

15h00 – Liga-me a minha irmã a chorar, o meu sobrinho de sete anos partiu um braço.

16h00 - O Tiago entra para o bloco operatório e só sai as 21h00

19h30 – Deixo o telefone cair na sanita do Modelo sem saber. Depois de muito procurar volto à casa de banho e lá está ele, a brilhar dentro da água. Recupero-o, mas está morto.

21h00 – A Ana descobre o presente dela de Natal que esta cabeça de alho chocho se esqueceu no carro….

 

Tenho de trabalhar ainda mais para pagar a conta do bolinhas.

O Tiago ainda está no hospital. O médico disse que correu tudo bem, esperemos que isto passe depressa… custa tanto ver os miúdos sofrer..

Tenho de comprar um telefone novo…

Agora nem sei se mantenho o presente para a Ana ou lhe compro outra coisa…

 


sinto-me: :(

publicado por magnolia às 10:04
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito

E foi assim...


imagem retirada da net


 


Íamos as duas de mãos dadas, saltitando felizes pelos passeios das ruas iluminadas para o Natal, vendo montras e chilreando como passarinhos na Primavera.


- Mãe! Olha que camisola tão linda!!


- Mãe! Posso ter aquela boneca? É tão linda!


- Vamos ver filha, vamos ver…


- Mãe! E aquele carrinho de chá?


Eu ria-me. E ela também. Tantos pedidos! Tantos desejos! Os olhos dela brilhavam de felicidade inocente.


- Olha! Olha! Olha! – Largou-me da mão e correu a colar o nariz no vidro da montra dos brinquedos. Um enorme comboio colorido corria pelos carris em miniatura deitando fumo pela pequenina chaminé. Que delicia.


Foi nesse momento que várias pessoas se meteram entre nós e deixei de a ver por escassos segundos. Apressei-me na direcção dela, mas quando cheguei ao pé do vidro já não a vi. O meu coração deu um salto e um grito ficou sufocado na minha garganta. Olhei para um lado e para o outro e via-a dobrar a esquina. Corri atrás e vejo-a a olhar para um menino de pé descalço e ranho no nariz que a olhava também. Ia para ralhar pois ainda não estava refeita do susto, mas fiquei a ouvir, protegida pela sombra da noite.


- Estás descalço? Não tens frio?


- Tenho...mas não tenho sapatos.


- Não tens sapatos? – a voz dela mostrava a surpresa que essa informação lhe causava.


- Não, não tenho. O meu pai é doente e não trabalha e a minha mãe também não. Está desempregada.


- Isso quer dizer que não vais ter presentes de Natal?


- Nunca tive nenhum. Às vezes o meu pai trazia uns brinquedos usados da casa de uns tipos ricos e dáva-nos. E roupas também. Mas agora não sai de casa e a minha mãe bebe muito.


A minha filha estava de lágrima no olho, pude perceber pelo tremer da sua vozinha de criança.


- Vou pedir à minha mãe para te dar um presente...


- Achas que ela faria isso? – a ansiedade na voz do rapazinho fez-me sentir um aperto no peito. E se fossem os meus filhos?


- Claro que sim. Eu peço coisas e ela dá-me, por isso se pedir para ti ela também vai dar!


Neste momento aproximei-me e pedi ao rapazinho que me levasse até casa deles. Dei a mão à minha filha e fomos andando por becos escuros e ruas sujas, bem diferente da rua de onde tinhamos vindo, cheia de luzes e pessoas bonitas e bem vestidas.


Entramos numa casa muito pobre. Lá dentro um homem estava numa cadeira de rodas e uma mulher estava caida no sofá a dormir. Duas crianças pequenas choravam num berço que já não era novo há muito tempo...


As lágrimas vieram-me aos olhos e ao olhar para a minha filha que ainda não tinha completado dez anos, vi que também ela chorava.


- Mãe...quero dar as minhas prendas todas a estes meninos...


Acariciei os seus cabelos e sorri entre lágrimas com tanta generosidade.


- A mãe vai resolver isto, não te preocupes.


Ainda antes do dia de Natal a mãe do rapazinho de pé descalço estava a trabalhar e tinham roupa suficiente para o Inverno todo. Montamos uma arvore de Natal e enchemos a despensa para um mês inteiro. No dia de natal fizemos questão de convidar esta familia para jantar na nossa casa.


Via-se que estavam felizes. Às vezes dar a mão a alguém pode fazer toda a diferença. A esta familia fez diferença e a nós não fez diferença nenhuma, ter mais um presente ou mais um pouco de comida na mesa. Repartimos o que tinhamos e tambem nós sentimos o nosso coração cheio de alegria.


Esta história já aconteceu há muitos anos, mas é uma história que se repete ano após anos. Eu e minha familia prometemos que enquanto tivessemos forma de ajudar o fariamos, por isso todos os anos por altura de Natal vamos à procura destes meninos de rua. Vamos tentar de alguma forma tornar o seu Natal mais bonito, mais quente, mais doce.


A minha filha cresceu e hoje é ela que trata disto tudo. Digo sempre que é ela a culpada desta tradição, e é, porque não houve ano nenhum que não tivesse sido ela a primeira a falar no assunto assim que Dezembro espreita no nosso calendário...


 


Texto de ficção para a "Fábrica das Histórias"


Autor: Cláudia Moreira


 


 


 



publicado por magnolia às 00:26
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito

Terça-feira, 9 de Dezembro de 2008
Final de final de semana...

Venho só aqui contar o finalzinho do fim-de-semana prolongado. O principio e meio já conhecem e..não foi grande coisa.

Segunda-feira, feriado, depois de dormir bastante e de termos conferenciado (foi mais eu tê-los obrigado quase aos berros a sair de casa comigo) entre os três o que fariamos nesse dia, lá decidimos (mãe, eu vou, mas tens que me comprar pipocas no cinema) que iriamos ver o Sino gigante dos Aliados, patinar no gelo (falso) e depois Madagascar no cinema.

Eles adoraram a patinagem! Claro que nenhum deles sabe patinar, portanto estiveram mais vezes no chão do que em cima dos patins! Ainda me ri um pedaço com os trambolhões (tralhos na linguagem do André) do pessoal que lá andava! Tudo gente que nunca se tinha posto em cima de um par de patins. Eles bem queriam que eu fosse, mas depois quem é que segurava na minha carteira?!

Depois os insulfláveis. O andré já se acha grande demais e não foi (foi tudo vergonha de teen porque até eu fiquei com vontade de ir para lá dar uns pinchos!!)  mas a Ana aproveitou bastante! Vinha de lá completamente exausta. O sino era giro, mas não me causou tanto impacto como a descrição que li na net.

Depois fomos rumo ao Norteshopping onde além de encher a barriga de pipocas docinhas, também apanhamos uma barrigada de rir! Sem duvida que o meu preferido é o MelmanJ Adoramos o Fufi do Alex e amei o romance entre a Gloria e o Melman... e continuo a achar que o Julien fuma alguma coisa que não devia... em suma, gostei muito do Madagascar 2. E os meus piolhos também gostaram muitoJ

E pronto, é Natal e no Natal há luzes, cinema, pipocas, circo, festas, alegria!

Para a semana será Circo, festa do Hip-Hop e...nem sei mais o quê.....tenho de ver a agenda dos miudos que têm uma vida socail vinte vezes mais activa do que a minha!

 

 

 


sinto-me: azulinha

publicado por magnolia às 22:24
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito

Segunda-feira, 8 de Dezembro de 2008
Coisas minhas

São 3h23 am e cheguei agora a casa. O dia foi duro... Demasiado. Trabalhei dezoito horas seguidas a um Domingo que deveria ser um dia de descanso, de estar com a familia, de arejar ideias. Em vez de tudo isso, não vi a luz do dia todo o dia, o carro avariou de manhã, ainda tive que fazer 2 kms a pé de trouxas às costas, camisa preta no cabine como se estivesse a fugir de casa. Na décima oitava hora de trabalho, quando já nem me aguento em pé, o músico fantástico lembra-se de nos chamar para dançar...  Ainda dei umas voltas nos braços dum desconhecido que já tinha bebido demais. O artista estava entusiasmado e cantou doze ultimas músicas.

À saida o nevoeiro era tanto que de repente me senti engolida por um mundo paralelo. Que estranha a madrugada solitária e silenciosa cheia de nevoeiro. Parece que avançamos num mundo em que não existe mais nada nem ninguém. Não vês mais nada além de ti. Senti-me só.

Quando abri a porta de casa ouvi um galo cantar.

Não sei porquê, mas de repente as lágrimas saltam dos meus olhos e não as consigo conter...

São 4h08 am...


sinto-me:

publicado por magnolia às 03:55
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito

Sexta-feira, 5 de Dezembro de 2008
Convite

Eu e a Autores Editora, temos o prazer de convidar todos os amigos, leitores do blog ou não, reais e virtuais, e para todos que por aqui passem e sintam curiosidade, para a apresentação do meu livro "Poemas de Amor e Desamor". 

A apresentação será no dia 20 de Dezembro de 2008 pelas 16h30 na Biblioteca José Régio em Vila do Conde onde estarei presente, assim como a minha querida amiga e editora Maria Helena.

Será uma apresentação muito simples, mas feita com muito carinho e muita dedicação.

 

_________________________________________________________________

 

_________________________________________________________________________

 

Ver informação da Biblioteca aqui.


sinto-me: feliz, ansiosa, nervosa

publicado por magnolia às 10:47
link do post | comentar | ver comentários (16) | favorito

Quinta-feira, 4 de Dezembro de 2008
Memorias da minha infância

imagem retirada da net

 

Lembro-me que nestes dias de aborrecida chuva fria que entra na pele sem pedir licença e nos enregela os ossos, vinha da escola saltitando pelas poças de água, não tanto evitando-as, mas sim chapinhando-as para ver com alegria a que altura saltavam as pingas geladas. Reunia com o resto dos miúdos do bairro procurando salamandras, que na altura não sei bem porquê as baptizamos de saramelas. Eram bichos feios, repelentes, e que apareciam às dezenas mortos na nossas rua sem carros. Depois íamos subir muros cheios de musgo verde que nos manchava a roupa e invariavelmente dava origem a raspanetes.

Só mesmo quando a noite começava a cair e o frio me punha o nariz vermelho é que voltava para dentro não sem antes a minha avó já me ter chamado umas dez vezes! Sabia tão bem sentir a chuva fria na cara, a liberdade, a natureza no seu estado puro…

Depois da noite cair, secar o cabelo, tirar os sapatos encharcados, pôr uma manta aos ombros, sentava-me em cima da caixa da lenha, aquecendo-me no fogão de lenha, vendo as chamas crepitar e sentindo o aroma da sopa de feijão rajado e da broa acabada de cozer…

 

 

 


sinto-me: nostálgica

publicado por magnolia às 15:54
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

...e mais ainda...
Cláudia Moreira

Cria o teu cartão de visita
Março 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


Ideias recentes

Entrudo

Fábula

primavera

música, da boa.

poema simples

A invenção do Amor

we all do have some nost...

manhãs

poema simples

That 'cause sometimes I t...

breve história de uma árv...

O Humor dos outros.

2013 - os livros que li, ...

Feliz Ano Novo!

Porque os livros (também)...

2013 - os livros que li, ...

That 'cause I think of my...

Estes já têm lugar na min...

Quem se lembra?

2013 - os livros que li, ...

Ideias antigas

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Março 2007

Março 2006

tags

todas as tags

links
Procuras alguma ideia em especial?
 
Ideias em pelicula
blogs SAPO
subscrever feeds