Falar sobre tudo e mais alguma coisa
Quinta-feira, 5 de Março de 2009
A viagem da minha vida

 



 


O comboio avançava lentamente e eu de cabeça encostada à janela via passar os imensos campos de trigo pintados a ouro. De vez em quando uma mancha verde a lembrar um sobreiro salpicava a paisagem dourada. O céu estava tão azul que ofuscava e o sol brilhava intensamente lá no alto. Eu levava um vestido de algodão de alças finas de cor azul como o céu. Ia bem com o meu tom de pele, bronzeado nas praias alentejanas. Levava uma revista na mão e abanava-me devagar. Estava mole. Os quase quarenta graus estavam a deixar-me prostrada. A paisagem continuava a correr e o comboio continuava a sua marcha lenta: pouca-terra pouca-terra…


Na estação seguinte vi um bando de jovens de mochilas às costas e intimamente desejei que não viessem para a minha carruagem. Estava tão bem naquela modorra de fim de tarde, embalada pelo suave abanar do comboio, lendo, dormitando… E ainda faltava bastante para o meu destino.


Não entraram. Em vez deles entrou um homem de idade indefinida. Eu diria por volta dos trinta, mas também poderia ser quarenta. Educadamente disse boa tarde e sentou-se na secção de bancos ao lado da minha. Olhei-o de soslaio e não pude deixar de reparar nos seus traços finos. Estava vestido de forma casual, de azul por sinal e trazia um livro consigo. O livro foi o que mais me chamou a atenção. Confesso que me fartei de espiar o homem até descobrir o que estava a ler. Qual não foi o meu espanto quando vi que lia o mesmo livro que eu! Devo ter ficado a olhar com cara de parva, porque de repente ele estava a sorrir-me. Senti-me corar e tentei esconder o livro que tinha na mão. Demasiado tarde. Ele também já o tinha visto.


- Estamos a ler o mesmo. – Disse ele com um grande sorriso maravilhoso.


Eu balbuciei algo que ele não entendeu e eu também já não sei o que foi. Mas olhei-o e pude ver uns olhos azuis tão intensos que me hipnotizaram. Era sem duvida o homem mais bonito que vi até aquele momento! E para meu grande terror ele levantou-se e veio sentar-se no banco à minha frente.


- Olá. Eu sou o Gabriel.


E com isto estendeu a mão e agarrou na minha, num aperto de mão suave mas firme.


- Eu sou a Lara… – Gaguejei. Senti-me estúpida. Uma adulta a portar-se como uma adolescente.


Ficamos em silencio algum tempo olhando pela janela. Pelo canto do olho vi que me observava com os seus maravilhosos olhos azuis. Ganhei coragem e olhei-o também. Sorriu.


- Vamos tomar um café ao bar?


- Sim, obrigada. É uma óptima ideia!


Levantamo-nos e ele cedeu-me a passagem. Colocou uma mão nas minhas costas ao de leve ajudando-me a atravessar os corredores e chegamos ao bar do comboio. Sentamo-nos nos sofás de pele branca e tomamos um café horrível enquanto falávamos e eu já nem via a seara a passar. Contamos muitas coisas das nossas vidas e rimos de tudo e de nada. Confesso que me sentia nas nuvens. Que pena a viagem estar prestes a terminar…


Dali a pouco ele foi buscar as coisas dele. Saia na estação antes da minha e eu preferi continuar ali mais um pouco. Despedimo-nos com um abraço rápido, dois beijinhos e um sorriso. Quando saiu pela porta da carruagem senti um aperto no peito.


- Trouxe-te o livro para não te sentires tão só… – não estava a contar que voltasse para trás e apanhei um susto ao senti-lo tocar-me no braço.


- Ah! Obrigada, mas não precisavas….


- Assim pude ver-te mais uma vez…


E com isto chegou-se a mim e beijou-me os lábios suavemente e partiu. Ainda o pude ver na estação olhando-me, dizendo-me adeus até que o seu rosto se perdeu e deu lugar à seara e aos sobreiros e ao céu toldado de laranja de fim de tarde. O resto da viagem foi muito triste. Voltei para o meu lugar e preparei as minhas coisas para sair.


 


***


 


Por altura do meu aniversário já se tinham passado cerca de três meses e já não pensava tanto no Gabriel, o homem que me tinha roubado o coração em apenas três horas. Tinha sido tudo tão estranho. O encontro. A conversa. O beijo. A saudade. Tantos sentimentos confusos dentro de mim. A dificuldade em voltar para a minha vida normal depois de o conhecer. Que vida estranha. Mostra-nos a felicidade, para logo no-la tirar. Foi apenas um vislumbre.


No aniversário deram-me vários livros e andei a arrumar a estante. Peguei no livro que levava no comboio naquele dia e logo as recordações me atacaram furiosamente. Senti saudade. Senti uma dor física com a sua ausência. Folheei o livro e algo de estranho me chamou a atenção. Aquele não era o meu livro! Na primeira página podia ler em cima o nome do Gabriel e uma data, tal como eu também faço quando compro um livro e por baixo em letras bem desenhadas:


 


Querida Lara,


 


Não vais acreditar se te disser que estou apaixonado por ti. Eu próprio não acreditaria se me dissesses o mesmo hoje de manhã. Nunca acreditei no amor à primeira vista. E no entanto foi isso mesmo que aconteceu comigo hoje quando te vi pela primeira vez. O meu coração deu um pulo e disparou em marcha acelerada rumo ao desconhecido. Senti-me impelido a abraçar-te, a beijar-te os lábios perfeitos que tens. Seria loucura abandonar tudo e todos e pedir-te para fazeres o mesmo, agora, já, neste preciso momento. Não to posso pedir nem eu o posso fazer. No entanto pode ser que num futuro próximo queiras experimentar ter-me a teu lado…fica o meu coração nas tuas mãos…


 


Com amor,


Gabriel


 


Ps: a minha morada é….


 


 


 


 


Texto de ficção para a Fábrica das Histórias por Cláudia Moreira


 


 


 


 



publicado por magnolia às 15:51
link do post | favorito

De agoradigoeu a 6 de Março de 2009 às 05:17
Claudia,
Linda história.
Histórias que nos fazem continuar a sonhar que a vida é maravilhosa.
Parabéns
norberto


De magnolia a 9 de Março de 2009 às 00:16
A vida pode ser maravilhosa....embora raramente o seja na realidade...mas sonhar pordemos sempre não é Norberto? :)

Beijinhos


De agoradigoeu a 9 de Março de 2009 às 07:40
Claudia,
A vida na realidade é mesmo maravilhosa, podes ter a certeza até porque tu o sabes bem, porque o transmites neste teu lado da vida - a escrever.
Encontra-te com o teu "interior" que é tão "bonito" e verás se a vida não é realmente maravilhosa.
Tens tudo para que assim seja.
um beijo amigo
em todos os dias das mulheres
norberto


Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

...e mais ainda...
Cláudia Moreira

Cria o teu cartão de visita
Março 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


Ideias recentes

Entrudo

Fábula

primavera

música, da boa.

poema simples

A invenção do Amor

we all do have some nost...

manhãs

poema simples

That 'cause sometimes I t...

breve história de uma árv...

O Humor dos outros.

2013 - os livros que li, ...

Feliz Ano Novo!

Porque os livros (também)...

2013 - os livros que li, ...

That 'cause I think of my...

Estes já têm lugar na min...

Quem se lembra?

2013 - os livros que li, ...

Ideias antigas

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Março 2007

Março 2006

tags

todas as tags

links
Procuras alguma ideia em especial?
 
Ideias em pelicula
blogs SAPO
subscrever feeds