Falar sobre tudo e mais alguma coisa
Quarta-feira, 11 de Agosto de 2010
Para a minha irmã - Jodie Picoult
Quando comecei a ler não tinha sequer lido a sinopse e não sabia o que me esperava. Não me refiro à qualidade da escrita da autora, nem sequer ao enredo da história, e não estou a pôr nenhum deles em causa, mas refiro-me sobretudo ao tema. Durante dias não fui capaz de tirar da cabeça a situação. Se fosse comigo o que faria??
Nesta história um casal tem dois filhos e aos dois anos é diagnosticada uma rara forma de leucemina à menina, a mais nova. Perante esta situação os pais ficam em pânico e tentam saber todas as formas possiveis e imaginárias para ajudar a filha. Quando percebem que todas as hipóteses normais estão esgotadas "fazem", literalmente, uma terceira filha em laboratório para que seja totalmente compativel com a filha doente. Supostamente seria apenas para usar as células estaminais do cordão umbilical e depois mais nada. Mas não foi assim, a doença foi teimando sempre em não se deixar vencer. E por isso a filha concebida para ajudar a irmã viu a sua vida condicionada pela da irmã todos os minutos da sua vida. Aos treze anos resolve pedir emancipação médica. Depois, no final, vemos que não foi de ânimo leve que o fez e muito menos o fez de forma egoista ou leviana...
...mas durante a leitura da história as dúvidas corroiem-nos a alma como ácido: podemos condenar esta miúda de apenas 13 anos por querer ter uma vida apenas dela? Por querer fazer todas as coisas que uma pessoa saudável faz e que assim está impedida porque não se pode magoar, ou porque está em pós-operatório ou porque está a tomar medicação para ser preparada para algum transplante? Será assim tão egoista querer ser uma simples miúda de 13 anos? Por outro lado como deixar de tentar todas as hipóteses quando vemos um filho a morrer? Mesmo que seja obrigar um outro filho que também amamos a viver em função desse filho doente? Será licito fazer alguém vir ao mundo apenas e só com o intuito de salvar uma outra pessoa? Podemos fazer de Deus nestas situações? Não são dois seres humanos com direitos iguais de vida, de saúde, de oportunidades, de escolha? Será justo fazer um filho carregar o fardo do remorso por querer ser livre mesmo sabendo que a irmã pode morrer? É demasiado pesado um sentimento dese género para qualquer ser humano: ser-lhe imposta uma determinada vida, desejar outra no íntimo e sentir-se terrivelmente egoista por lhe ter ocorrido esse pensamento... uma luta de titãs numa alma frágil de 13 anos...mas...
 
...e se fosse com um dos meus???
 
Já terminei de ler há uns dias e não tenho respostas....só tenho é mais dúvidas....
 
 
 
Sinopse

Os Fitzgerald são uma família como tantas outras e têm dois filhos, Jesse e Kate. Quando Kate chega aos dois anos de idade é-lhe diagnosticada uma forma grave de leucemia. Os pais resolvem então ter outro bebé, Anna, geneticamente seleccionada para ser uma dadora perfeitamente compatível para a irmã. Desde o nascimento até à adolescência, Anna tem de sofrer inúmeros tratamentos médicos, invasivos e perigosos, para fornecer sangue, medula óssea e outros tecidos para salvar a vida da irmã mais velha. Toda a família sofre com a doença de Kate. Agora, ela precisa de um rim e Anna resolve instaurar um processo legal para requerer a emancipação médica - ela quer ter direito a tomar decisões sobre o seu próprio corpo.

Sara, a mãe, é advogada e resolve representar a filha mais velha neste julgamento. Em Para a Minha Irmã muitas questões complexas são levantadas: Anna tem obrigação de arriscar a própria vida para salvar a irmã? Os pais têm o direito de tomar decisões quanto ao papel de dadora de Anna? Conseguimos distinguir a ténue fronteira entre o que é legal e o que é ético nesta situação? A narrativa muda de personagem para personagem de modo que o leitor pode escutar as vozes dos diferentes membros da família, assim como do advogado e da tutora ad litem, destacada pelo tribunal para representar Anna.


sinto-me: muito pensativa

publicado por magnolia às 15:37
link do post | favorito

Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

...e mais ainda...
Cláudia Moreira

Cria o teu cartão de visita
Março 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


Ideias recentes

Entrudo

Fábula

primavera

música, da boa.

poema simples

A invenção do Amor

we all do have some nost...

manhãs

poema simples

That 'cause sometimes I t...

breve história de uma árv...

O Humor dos outros.

2013 - os livros que li, ...

Feliz Ano Novo!

Porque os livros (também)...

2013 - os livros que li, ...

That 'cause I think of my...

Estes já têm lugar na min...

Quem se lembra?

2013 - os livros que li, ...

Ideias antigas

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Março 2007

Março 2006

tags

todas as tags

links
Procuras alguma ideia em especial?
 
Ideias em pelicula
blogs SAPO
subscrever feeds
Em destaque no SAPO Blogs
pub