Falar sobre tudo e mais alguma coisa
Quarta-feira, 29 de Dezembro de 2010
História de Vida *

  

Era dia da ceia de Natal e a chegada dos irmãos estava prevista para aquele dia. O P. e o D., os dois irmãos deficientes do L. Um mais profundo que outro, mas ambos incapazes de se tratarem sozinhos. Incapazes de comerem sozinhos, de se lavarem sozinhos, de se vestirem sozinhos. Quando chegassem, seria esse o seu primeiro serviço, tratar deles. Tirar-lhes-ia a roupa e na banheira faria os possiveis por que ficassem lavados.

 

Deppois disso a ceia. O bacalhau, uma oferta, já estava a demolhar e era preciso ainda descascar as batatas. Havia também um bolo-rei que adornaria a mesa. Oferta. Depois de tudo cozido ele mesmo iria servir os irmãos e a mãe.

 

A mãe estava na cama. A idade avançada e o muito peso deixavam-na prostrada. A doença também. Doença essa que, sem grandes margens para dúvidas, não era apenas doença própria da muita idade e do muito peso, mas sim indisposições que se compram em garrafas de vidro em qualquer tasca de aldeia.

 

Não haveria nenhum presente para abrir. Nenhum chocolate para comer. Nem haveriam conversas longas à mesa, entre risos e frutos secos. Não haveria mais do que o prato das batatas com o bacalhau e uma fatia do bolo-rei da caridade. E o frio. Depois seria hora de colocar o pijama aos irmãos e deitá-los na cama. Depois seria hora de dormir como todos os dias.

 

No dia seguinte, manhã ainda e enquanto ainda não houvessem tentações, a mãe iria ajudá-lo com o farrapo velho. Depois viriam os outros irmãos, uns mais velhos e outros mais novos. A familia, grande, espalhada pela terra, desunidos pela pobreza, unidos pelo sangue. No resto do tempo, a solidão amarga. Depois iriam todos embora e ele teria novamente que tratar dos irmãos, da mãe e da casa.

 

A pobreza. A pobreza extrema. A falta de dinheiro. A falta de carinho. A falta de atenção. A falta de ajuda. A falta de tudo. Pobreza de espirito também.

 

L. tem um peso enorme nas costas mas nasceu com um coração muito grande, capaz de ultrapassar a grave deficiência intelectual com que nasceu.  L. é uma pessoa marcada pela vida mas traz quase sempre estampado no rosto um sorriso aberto e sincero.

 

Quando estou de mal com a vida penso nele. É uma lição de vida.

 

 

 * História real que me foi contada na primeira pessoa.

 



publicado por magnolia às 18:41
link do post | comentar | favorito
|

18 comentários:
De averse a 30 de Dezembro de 2010 às 11:05
Houve alguém que disse, (e não perguntes quem, porque não me lembro) que a felicidade não tem tanto a ver com o que se conquista mas sim com o que se valoriza.



De magnolia a 30 de Dezembro de 2010 às 11:27
Não pergunto quem....mas esse quem tinha muita razão...


De averse a 30 de Dezembro de 2010 às 11:51
aqui à dias li qq coisa do genero, que o valor da felicidade se altera conforme a situação, e pode se alterar drasticamente, o que hoje consideramos padrões minimos para a nossa felicidade, amanha perante factos não ponderados podem se tornar quase expoentes maximos de uma felicidade plena... fiquei a pensar nisso ...



De magnolia a 30 de Dezembro de 2010 às 11:57
Se aplicarmos isso à nossa própria história de vida vemos que é verdade...


De averse a 30 de Dezembro de 2010 às 11:59
vemos?
acho que é mesmo aí que reside a questão, nessa capacidade de ver


De magnolia a 30 de Dezembro de 2010 às 12:16
Se não vemos, deviamos ver. Deviamos parar para pensar, reflectir. Se eu pensar nisso com consciência vejo exemplos desses na minha vida...


De averse a 30 de Dezembro de 2010 às 12:27
olhar um passado...
e num presente, a capacidade é a mesma? descobrir, sentir e valorizar o que nos parece insuficiente hoje e que poderá ser a nossa felicidade amanha quando pensarmos nisso?



De magnolia a 30 de Dezembro de 2010 às 12:47
Na minha opinião pessoal acho que é dificil mas não devemos deixar de pensar nisso. Devemos estar atentos para não cairmos no negativismo e na insatisfação. Eu confesso que muitas vezes desanimo, sofro, esperneio, sofro....mas OBRIGO-me a pensar que já estive pior, e a olhar em volta e ver a miséria e a desgraça para me sentir agradecida por tudo o que tenho conseguido. Por tirar felicidade de coisas pequenas como ver o mar, respirar ar puro. Como tirar felicidade do sorriso dos meus filhos...

Ena! Este comentário já é quase um post:)

E tu que pensas disto??


De averse a 30 de Dezembro de 2010 às 15:34
Eu?... para mim é uma encruzilhada!!
Falar na 1ª pessoa não é nada fácil...
mas bem....
eu acho que sou uma pessoa normalmente de bem com a vida, claro que o normalmente não é sempre, logo e se for sincero não sei se dou o devido valor, nuns momentos julgo ter a certeza que não dou noutros a certeza que dou. Reconheço, isso sim, que seria muito importante estar mais atento, e saber simplificar algumas situações poderia ajudar imenso...
e... :D:D ainda divagava aqui um pouco, isto dá um nó no cerebro, pelo menos no meu, depende sempre de factores de mais


De magnolia a 30 de Dezembro de 2010 às 17:37
é daquele assuntos circulares. eu sei:)


De averse a 30 de Dezembro de 2010 às 18:10
não deixando de ser um bom assunto para debater ou aprofundar e ... se possivel interiorizar :D:D

Caso depois não haja oportunidade, desejo-te um bom final de ano


De FatimaSoares a 30 de Dezembro de 2010 às 13:02
Uma história triste mas que devíamos interiorizar. Minha querida para ti e família um feliz 2011 e que estas injustiças possam chegar aos fim. Bjs


De magnolia a 30 de Dezembro de 2010 às 17:36
Muito obrigada e igualmente Fátima! Um beijinho ea amizade!


De viaggi in spagna a 30 de Dezembro de 2010 às 14:53
Parabéns pelo seu blog, muito interessante. Estou estudando Português, eu não consigo entender tudo, mas quase! ;)


De Ametista a 30 de Dezembro de 2010 às 18:13
É por histórias de vida como esta e tantas outras mais que cada vez valorizo menos esta época.. natal deveria ser sempre que o Homem quisesse mas, infelizmente, as ajudas a situações trágicas são nenhumas por parte de quem deveria.. enfim.. e não me venham falar em harmonia no natal e etc, etc, etc.. É o egoísmo em alta escala que fala mais alto..
Magnolia, desejo-te um ano de 2011 com sorrisos.. muitos.. e a esta família coragem para prosseguir..

Um beijinho


De magnolia a 1 de Janeiro de 2011 às 21:32
Olá:)

Só agora arranjei um bocadinho para responder aos amigos da blogoesfera. Mil perdões!

Eu espero que sim, que o 2011 vá ser cheio de sorrisos...o meu, o teu e o de toda a gente! Precisamos tanto deles!!! :))

Esta familia também....pode ser que algo mude no futuro...há sempre esperança!

Beijinhos


De Sofia a 31 de Dezembro de 2010 às 17:54
Cada vez mais, abrando a penso em histórias como estas... de cada vez que me irrito porque algo não correu como eu queria, sempre que penso que queria mesmo jantar naquele sítio "xpto" que saiu na revista mas que não é para a minha bolsa, quando me aborrece não poder comprar os dois pares de botas, mais aquela mala, só porque sim, sempre que sonho com viagens que não posso fazer... e se, e se, e se...
Estes que descreves são afinal os verdadeiros problemas, os verdadeiros dramas. São pessoas, como essa que conheces, que me fazem pensar que afinal eu até sou muito feliz... tenho é de aprender a dar-lhe o devido valor! Eu e muita gente...

Bjs e obrigada pela partilha :)


De magnolia a 1 de Janeiro de 2011 às 21:33
Precisei de partilhar...pelo muito que também a mim me faz pensar.

às vezes penso que muita gente acaba por saber isto....então porque não andamos todos muito mais felizes???

Um beijinho e continuação de boas festas!


Comentar post

...e mais ainda...
Cláudia Moreira

Cria o teu cartão de visita
Março 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


Ideias recentes

Entrudo

Fábula

primavera

música, da boa.

poema simples

A invenção do Amor

we all do have some nost...

manhãs

poema simples

That 'cause sometimes I t...

breve história de uma árv...

O Humor dos outros.

2013 - os livros que li, ...

Feliz Ano Novo!

Porque os livros (também)...

2013 - os livros que li, ...

That 'cause I think of my...

Estes já têm lugar na min...

Quem se lembra?

2013 - os livros que li, ...

Ideias antigas

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Março 2007

Março 2006

tags

todas as tags

links

Uploaded with ImageShack.us
A minha obra:-)
Image Hosted by ImageShack.us
By magicmagnolia
Statistic
Procuras alguma ideia em especial?
 
Quantos andarão por aqui?
web counter
Pub
Ideias em pelicula
Que horas são?


blogs SAPO
subscrever feeds